A vacina & a cura do HIV

Inevitavelmente, a cura do HIV vai precisar envolver uma vacina capaz de melhorar a habilidade natural do organismo para controlar o vírus. Pelo menos, é isso o que foi discutido no seminário Steps…

Fonte: A vacina & a cura do HIV

Primeira infecção por zika garante proteção em 2º contágio, diz pesquisa  

Estudo em cobaias testou se uma primeira infecção por zika poderia proteger no caso de uma segunda. O resultado preliminar é que sim.

Fonte: Primeira infecção por zika garante proteção em 2º contágio, diz pesquisa  

 Resultado da pesquisa não surpreende. Mesmo assim bastante relevante.

Pintura: “O Médico”

34EBD735-A6AC-41E2-A884-8D7FB186BB10

Aproveitei a postagem de um colega de turma – Dr. Roberto Amaral – no grupo do Zap e trouxe para o blog de tão tocante que é.

Este quadro tem como título: The Doctor
O inglês Sir Samuel Luke Fields foi o artista responsável por um dos mais belos quadros que têm médicos como tema. A célebre obra retrata um médico pensativo observando uma criança gravemente doente:

” The Doctor”,1891; Samuel Luke Fildes (1844-1927), Óleo sobre tela, Galeria Tate (Londres)

Ao pintar a criança enferma Fields inspirou-se no drama que viveu com o falecimento do seu filho na noite de natal de 1877. O quadro foi uma homenagem do pintor ao médico prestativo que assistiu seu filho até a hora da morte. Para que a tela fosse mais real possível, Luke Fields reproduziu no seu ateliê a sala de sua casa, palco do óbito de seu herdeiro.

No quadro, nota-se o médico em primeiro plano, olhando para sua paciente enquanto pensa se, a despeito do grau da enfermidade, é possível encontrar uma terapêutica eficaz.Observa-se também uma jovem doente, pálida, fraca e adormecida.

No fundo vemos uma mãe aflita, preocupada e desesperançosa, sua cabeça baixa traduz o desespero de quem espera o pior. Também é notável a expressão do pai, que não pode conter sua preocupação com a doença de sua filha, mas procura manter a calma, a fim de confortar a mãe. Se levarmos em consideração a época em que a tela foi pintada, é possível supor que o quadro retrata uma vítima de alguma doença infecciosa incurável, comum na era pré-antibiótica.

 

O Doutor foi concluído em 1891, atendendo a um pedido da rainha Vitória, da Inglaterra. O trabalho que custou três mil libras esterlinas, foi intermediado por Sir Henry Tate, em cuja homenagem existe atualmente em Londres, na Galeria Tates, onde essa obra de arte encontra-se exposta.

Vigilância Epidemiológica confirma caso de leishmaniose em criança de um ano e oito meses em Presidente Prudente

População é orientada a retirar dos quintais todo tipo de matéria orgânica em decomposição, como galhos de árvores, frutos e folhas. Paciente mora no Jardim Prudentino.

Fonte: Vigilância Epidemiológica confirma caso de leishmaniose em criança de um ano e oito meses em Presidente Prudente

UOL: Com letalidade de 55,7%, sepse é a doença que mais mata em UTIs no Brasil

uti

acesse a reportagem do UOL aqui

O Brasil tem uma taxa extremamente alta de morte por sepse em UTIs, superando até mortes por acidente vascular cerebral e infarto nessas unidades. Segundo levantamento organizado por pesquisadores da Unifesp.

De AVC a acidente de trânsito: as 10 principais causas de morte no mundo

174AA6DC-043E-46D0-8DC6-C9CF071308CD

Acesse a reportagem do UOL aqui

Depois de muitos anos a AIDS saiu da lista, mas outras velhas conhecidas dos infectologistas, como a tuberculose, a infecção respiratória aguda e as gastroenterites continuam lá.

Segundo caso de febre amarela em humano é confirmado em Itatiba

Secretaria Estadual de Saúde confirmou a doença em um paciente de 68 anos que está internado no hospital da Unicamp. Em outubro, um idoso morreu por conta da doença na cidade.

Fonte: Segundo caso de febre amarela em humano é confirmado em Itatiba

Como baixei esta notícia do ProMed Mail, aproveito para postar o comentário de seu moderador, Dr. Rodrigo Angerami, fazendo minhas suas palavras…

Os 2 casos confirmados em Itatiba, o reportado agora e o anterior eram residentes em área rural, em propriedades com presença de mata; em um dos casos, houve a morte de primata não-humano confirmado com febre amarela na própria propriedade. Detalhe: apesar de as ações para vacinação em Itatiba estarem sendo conduzidas desde abril/2017,nenhum dos dois casos eram/foram vacinados contra febre amarela.

Ampliar a cobertura vacinal, sim, é importante. Adotar vacinação
contra febre amarela na rotina para toda população do país, sim, é
uma tendência. No entanto, em curto prazo, mais do que vacinar
milhares e milhares de pessoas é vacinar, prioritariamente,
oportunamente (em algumas áreas emergencialmente), as pessoas
“certas” (susceptíveis e potencialmente expostas) dos lugares “certos” (áreas de maior risco de transmissão).

A ocorrência dos 2 casos de febre amarela de Itatiba deve ser
compreendida como evento sentinela (e exemplo para outros
municípios), como oportunidade perdida.

Stop using antibiotics in healthy animals to preserve their effectiveness

WHO is recommending that farmers and the food industry stop using antibiotics routinely to promote growth and prevent disease in healthy animals.

Fonte: Stop using antibiotics in healthy animals to preserve their effectiveness

Não é tão simples assim. O consumo de antimicrobianos na indústria de alimentos, especialmente na de frangos, é mais de 100 x maior do que na medicina humana. E para piorar, eles migraram da doxiciclina para a ciprofloxacina e mais recentemente até para a polimixina B, que são colocadas na ração dos pintinhos para previnir pneumonia, que seria inevitável dentro do sistema de criação intensiva atual. Parar de usar essas drogas significa mudar a matriz de produção de fonte proteica de baixo custo para as populações mais pobres do mundo todo. Só isso…

Dracena confirma caso positivo de raiva em morcego encontrado na área urbana

Secretaria de Saúde e Higiene Pública ressalta que não há necessidade de pânico por parte da população. Outros seis suspeitos estão sob análise.

Fonte: Dracena confirma caso positivo de raiva em morcego encontrado na área urbana

O encontro de morcegos infectados com vírus da raiva em área urbana é fato relevante, com serias consequências na política de profilaxia antirrábica.