RJ registra 1305 casos de hanseníase; autoridades também estão em alerta para sarampo – Jovem Pan Online

Como se não bastasse a preocupação com o sarampo, que já está em surto em São Paulo e corre risco no Rio de Janeiro, as autoridades de saúde cariocas estão preocupadas com uma outra doença que já parecia derrotada: a hanseníase, que no passado chegou a ser chamada de lepra. Somente no primeiro semestre deste ano, já são 1.305 casos da doença.

Fonte: RJ registra 1305 casos de hanseníase; autoridades também estão em alerta para sarampo – Jovem Pan Online

Chikungunya provoca duas mortes no Rio; estado tem registro de 16 mil casos só esse ano

Apesar dos números, situação ainda não é classificada como epidemia. Em Caxias, 384 casos da doença já foram registrados em 2019.

Fonte: Chikungunya provoca duas mortes no Rio; estado tem registro de 16 mil casos só esse ano

RJ lidera o número de casos de chikungunya no Brasil

 

Capital registrou mais de 2,7 mil casos da doença em 2019. Senador Vasconcelos, Jardim Botânico e Bangu são os bairros que lideram o ranking.

Fonte: RJ lidera o número de casos de chikungunya no Brasil

Fiocruz afirma que RJ vive epidemia de chikungunya; secretaria de Saúde nega

O aumento é alarmante e mostra que na cidade do Rio a incidência subiu 430%. Já na Região Metropolitana, o aumento foi de 800%.

Fonte: Fiocruz afirma que RJ vive epidemia de chikungunya; secretaria de Saúde nega

UOL: Favela do Vidigal tem surto de hepatite A 

Fonte: Favela do Vidigal tem surto de hepatite A – Notícias – Saúde

Rio – A favela do Vidigal, na zona sul do Rio, registra surto de hepatite A. Já foram notificados 92 casos, a maioria de homens entre 20 e 30 anos. A doença é causada por vírus e é bastante contagiosa.

A reportagem do UOL especula que a via de transmissão mais provável é a água, classicamente a fonte contaminante mais comum. Mas, considerando que a maioria dos casos é em adultos jovens do sexo masculino, e considerando também o que vêm ocorrendo em outras partes do Brasil e da Europa na comunidade HSH, penso que a transmissão sexual  é a mais provável.

Febre amarela volta ao Estado do Rio, e vacinação é intensificada

Foco será em Nova Iguaçu, Tanguá e Miguel Pereira

Fonte: Febre amarela volta ao Estado do Rio, e vacinação é intensificada

Rio de Janeiro passa a ser área de recomendação para vacinação de Febre Amarela

Fonte: Rio de Janeiro passa a ser área de recomendação para vacinação

Desde a constatação de transmissão autóctone no Estado do Rio de Janeiro que a preocupação era grande. Originalmente o Estado todo era tido como área indene ( sem risco de transmissão), mas adotou-se emergencialmente a vacinação para toda a população em caráter provisório, até que melhores análises fossem feitas. E agora o provisório virou definitivo…

Petrópolis, RJ, registra cinco casos de malária

Fonte: Petrópolis, RJ, registra cinco casos de malária

Em post recente compartilhamos a notícia de que uma espécie de Plasmodium associada à doença em macacos (simius) havia sido identificada em humanos no Estado do Rio de Janeiro. Agora esta notícia de novos casos, ainda não confirmado de qual espécie. De qualquer forma mais um exemplo dos desafios epidemiológicos que estamos enfrentando.

G1 – Governo do RJ confirma primeira morte por febre amarela no estado – notícias em Região dos Lagos

Paciente de 38 anos morreu em Casimiro de Abreu. Outro homem diagnosticado com a doença segue internado no município.

Fonte: G1 – Governo do RJ confirma primeira morte por febre amarela no estado – notícias em Região dos Lagos

Depois do Espirito Santo, agora é a vez do Rio de Janeiro. Estados considerados indenes que passam a ter casos e ter de vacinar seus residentes. Definitivamente a Febre Amarela está fazendo seu caminho de volta para o litoral, por onde ela começou sua história no Brasil há mais de um século atrás.

Micose que provoca morte de gatos atinge humanos; Rio já teve 5 mil casos – Notícias – Saúde

IMG_0282

Fonte: Micose que provoca morte de gatos atinge humanos; Rio já teve 5 mil casos – Notícias – Saúde

Já foi notícia aqui no blog no ano passado. De lá para cá virou doença de notificação compulsória no Rio de Janeiro, contabilizando mais de 5.000 casos em humanos!!