‘Quase morri por atraso em diagnostico de malária’: como doença continua fazendo vítimas em todo Brasil – BBC News Brasil

Hoje já há tratamentos simples e efetivos atualmente, mas se diagnóstico não é feito precocemente, quadro pode evoluir para febres altas, cansaço extremo e hemorragias.

Fonte: ‘Quase morri por atraso em diagnostico de malária’: como doença continua fazendo vítimas em todo Brasil – BBC News Brasil

O que está por trás de nova epidemia de dengue no Brasil – BBC News Brasil

No primeiro trimestre de 2022, número de casos da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti subiu 85% em relação ao ano passado. Entenda os fatores que contribuem para esse cenário.

Fonte: O que está por trás de nova epidemia de dengue no Brasil – BBC News Brasil

Tratamento experimental controlou o HIV por seis meses após suspensão de antirretrovirais

Em São Paulo, dois homens portadores do HIV – um de 24 anos e outro de 49 – conseguiram controlar espontaneamente o vírus após a interrupção do uso de medicamentos antirretrovirais. Eles integravam um grupo de cinco pessoas que receberam um tratamento experimental concebido pela equipe do virologista Ricardo Sobhie Diaz, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Fonte: Tratamento experimental controlou o HIV por seis meses após suspensão de antirretrovirais

A ômicron e as crianças

A variante ômicron do novo coronavírus não poupou as crianças, em especial aquelas com menos de 5 anos, que não podem ser vacinadas. A pesquisadora Kristin Marks, do serviço de inteligência de epidemias dos Centros para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, analisou os dados de 2.562 internações de pacientes com idade inferior a 5 anos ocorridas entre 1º de março de 2020 e 31 de janeiro de 2022 em 14 estados norte-americanos.

Fonte: A ômicron e as crianças

Máscaras: usar ou não usar, eis a questão

Compartilho esse texto, muito sensato por sinal. Vale a reflexão quando estamos discutindo o abandono das máscaras em ambientes fechados.

Não deixe de ler! Esta leitura vai ajudar você a decidir sobre quando usar as máscaras, como planejar seu 2022 com o menor risco possível!

Texto do Filipe Veiga, pediatra (RJ).

“A pandemia acabou? Estamos prontos para voltar a viver como 2019?

Após 2 anos muita coisa mudou, nós mudamos. Querendo ou não.

Nesse período….
A ciência foi capaz de impedir milhares de hospitalizações e mortes com a maior campanha vacinal da nossa história. Em pouco mais de 1 ano mais de 10 bilhões de doses foram aplicadas.

A população passou por uma prova de fogo, muitas vidas perdidas, familiares e amigos que se foram precocemente. O lockdodown e as mudanças radicais na forma de viver afloraram sentimentos.

Empatia, compaixão, resiliência e dor. Muitos entraram em depressão e ansiedade, outros negaram o momento.

A ciência comprovou que a transmissão do vírus acontecia por gotículas e aerosol. Indicou o uso de máscaras para população. Provavelmente se tornou a maior medida não farmacológica da nossa história.

A população se beneficiou do uso das máscaras também na redução de inúmeras doenças respiratórias. Em alguns países com redução de 90% dos casos de influenza.
Nos EUA pré pandemia morriam todos os anos mais de 50 mil pessoas com influenza, sendo considerado “normal”.

A expectativa com a volta do comportamento de 2019 que as mortes por COVID-19 ficarão em 100-150 mil por ano.

A ciência com o conhecimento adquirido olha para esses “números” e não aceita isso como “normal”.

Hoje podemos utilizar medidas aprendidas e reduzir o número de hospitalizações e mortes por qualquer vírus. Principalmente em períodos do ano com intensa circulação viral.

Usar máscaras quando estiver doente ou visitar alguém que está com a saúde debilitada deverá ser sempre feito.

Não é copiar a cultura oriental. Isso é reconhecer que podemos adoecer menos e transmitir menos.

A população precisa entender que 2019 deve ficar para trás.

Viver o presente e planejar o futuro sem valorizar tudo que passamos não é aceitável em 2022.

Procure viver e se divertir em ambientes abertos e ventilados.
Faça todas as vacinas disponíveis.
Se ficar doente se cuide e proteja o próximo.
Tenha sempre uma máscara disponível para usar.

Vamos em frente!”

Por que a vacina da gripe precisa ser reaplicada todos os anos?

Para entender essa dinâmica, é preciso conhecer um pouco mais sobre vírus influenza e suas mutações. Especialista detalha como isso acontece

Fonte: Por que a vacina da gripe precisa ser reaplicada todos os anos?

Evolução viral: ômicron escalou o pico do sucesso, mas pode perder o trono em breve

Especialista em coronavírus, o virologista Paulo Brandão explica como se comporta a evolução neste grupo, e por que a ômicron ainda não deve ser a última variante a enfrentarmos nesta pandemia

Fonte: Evolução viral: ômicron escalou o pico do sucesso, mas pode perder o trono em breve

15, 14, 10, 7, 5 dias… qual é o tempo de isolamento adequado?

Pesquisadores buscam bater o martelo sobre o tempo de isolamento necessário para mitigar a disseminação da infecção pelo novo coronavírus.

Fonte: 15, 14, 10, 7, 5 dias… qual é o tempo de isolamento adequado?

As infecções resistentes a antibióticos que matam milhões – BBC News Brasil

Especialistas fazem apelo por medidas urgentes diante do número de mortos — que é pior nos países mais pobres e entre crianças com menos de cinco anos.

Fonte: As infecções resistentes a antibióticos que matam milhões – BBC News Brasil

Vírus pode ser a causa principal da esclerose múltipla, aponta estudo

Cientistas da Universidade de Harvard revelam descobertas sobre doença que afeta 2,8 milhões de pessoas em todo o mundo

Fonte: Vírus pode ser a causa principal da esclerose múltipla, aponta estudo