Mapeamento genético do vírus da febre amarela traça origens e dispersão do vírus no Brasil 

http://revistapesquisa.fapesp.br/2018/08/24/mapeamento-genetico-do-virus-da-febre-amarela-traca-origens-e-dispersao-do-virus-no-brasil/

O surto de febre amarela vivenciado pelo Brasil entre o fim de 2016 e o início de 2018, o maior dos últimos 100 anos, ganhou terreno apenas pela via silvestre de transmissão da doença, na qual mosquitos dos gêneros Sabethes e Haemagogus, que habitam copas de árvores, transmitiram o vírus primeiro para macacos e depois para seres humanos. Não houve disseminação da doença por meio do mosquito Aedes aegypti, de hábitos urbanos, que transmite outras doenças, como zika, dengue e chikungunya. Não há registro de febre amarela transmitida por A. aegypti desde 1942. Essas conclusões fazem parte de estudo publicado…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s