Vírus Oropouche: o caso do médico de Ribeirão Preto

D8CA92AB-6281-46F8-A9B4-1CAA67D9E406.jpeg

Acesse o texto do Medscape aqui

O paciente, que publicou um relato de caso no periódico Emerging Infectious Diseases, [1]ressaltou a importância de os médicos que trabalham nas regiões onde o vírus OROV não é endêmico incluírem esta doença no diagnóstico diferencial da síndrome febril aguda dos pacientes que estiveram em áreas de alto risco de contaminação. “O diagnóstico foi difícil”, disse ao Medscape o paciente e primeiro autor do relato de caso, Dr. Sebastián Vernal.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s